O bilhetão

Fui ao super comprar chuchu. Chovia, eu tinha ido dormir tarde, a geladeira não estava exatamente vazia, havia comida suficiente para o almoço – e eu me toquei pro super, no meio da manhã, para comprar chuchu porque era essa a tarefa da Laura esta semana. Estava lá, no “bilhetão” da escola: quarta-feira, levar chuchu…

Ler mais

Olhares

– Mãe, olha! Direciono o olhar preguiçosamente e lanço um Que-lindo-minha-filha!, um daqueles incentivos maternos que misturam admiração e condescendência, totalmente permitidos no contexto (e só no contexto) de quem tem filhos pequenos. Tento retomar a conversa sobre alguma conta por pagar, a viagem que não vai sair, o vazamento na pia do banheiro da…

Ler mais

Há 1 ano

Minha mãe me mandou uma mensagem para me lembrar que ontem fez um ano do dia em que eu tive um piripaque e fui levada de ambulância para a emergência da NYU, enquanto o Christian se desabava pela 7ª avenida para tentar chegar a tempo de me acompanhar. Nunca se soube por que, mas eu…

Ler mais

Mãos, olhos e boca

Como nunca mais serei mãe de um recém-nascido (nem de um bebê de 1, 2, 3 meses e por aí vai), a cada semana me pego me despedindo de alguma dessas fases que nunca vão se repetir. Beatriz completou 3 meses na semana passada e agora (numa didática demonstração de coordenação olho-mão!) ela já tenta…

Ler mais

Dia das crianças

É dia das crianças, feriado no meio da semana. A rotina começa como a de todos os dias: tão logo amanhece, o bebê acorda, indiferente à minha preguiça. Respiro fundo, levanto e dez minutos depois, Beatriz está amamentada e feliz. Sorri, se espreguiça no meu colo, quer voltar a dormir. Caminho com ela pelo quarto,…

Ler mais